Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Pesquisa&Extensão
Início do conteúdo da página

Pesquisa e extensão

Publicado: Segunda, 11 Janeiro 2021 20:23 | Última Atualização: Segunda, 11 Janeiro 2021 20:23 | Acessos: 542

Pesquisa e Extensão

Como um dos princípios da Universidade Federal do Pará (UFPA), a pesquisa e a extensão não se dissociam do ensino, assim, a Faculdade de Conservação e Restauro estimulará a pesquisa por meio da participação de docentes e discentes em editais e projetos que podem estar vinculados a instituições de fomento ou a própria UFPA. E a extensão integrada ao Projeto Pedagógico do Curso, compreendida na área de Conhecimentos Técnico-Práticos, Eixo Extensão, tendo 390h de carga horária distribuídas entre o 2º e o 8º semestres.

O próprio funcionamento do curso de Conservação e Restauro, em uma edificação histórica localizada no Centro Histórico de Belém, busca fomentar estratégias de articulação conjuntas com instituições gestoras do patrimônio nas esferas federal, estadual e municipal, falando-se aqui tanto da capital quanto do interior.

As atividades de pesquisa poderão ser relacionadas com temáticas desenvolvidas em laboratórios de pesquisas parceiros, como o Laboratório de Conservação, Restauração e reabilitação – LACORE – e o Laboratório de Arqueologia – LAARQ – ou em outros laboratórios a serem criados com a implantação do CORE, bem como em outras instituições de pesquisa, tais como museus e instituições governamentais ou não governamentais atuantes na conservação e no restauro de bens culturais. As atividades de extensão poderão ser desenvolvidas em projetos para conservação e restauro de bens culturais móveis e integrados a bens imóveis e sítios históricos de interesse a preservação cultural, cursos de extensão, seminários e serviços prestados às comunidades, vinculados ou não a projetos de extensão, ligadas à UFPA ou associadas a outras instituições.

Para fins de Atividades de Extensão, por exemplo, podem ser previstos projetos que visem:

  1. a) Adoção anual de bens culturais integrados que servirão de objetos de atuação e prática junto às atividades da graduação sob a coordenação de pelo menos um professor do CORE;
  2. b) Integração em atividades afins em parcerias com órgãos de preservação em âmbito nacional, estadual e municipal;
  3. c) Integração em atividades afins em parcerias com os diversos segmentos da sociedade civil organizada.
Fim do conteúdo da página